Publicidade

Por Thássius Veloso; do Tecnoblog


Durante uma sabatina com jornalistas na conferência D9, Eric Schmidt disse que seu trabalho era essencialmente falar e ouvir. Agora chegou a vez do chairman do Google falar, mas aos senadores do congresso dos Estados Unidos. Schmidt é a primeira vítima do Senado, que aparentemente também promove investigação das práticas comercias do Google.

Eric Schmidt (Foto: ) — Foto: TechTudo

Não pense que a participação de Schmidt no subcomitê de antitruste de Senado vem com boa vontade. O depoimento, agendado para setembro, só acontece depois que os senadores deixaram bem claro que, se não concordasse em ir por bem, o ex-CEO do Google poderia ser obrigado a ir por mal.

O que os senadores querem saber do Google? Basicamente, como a companhia lida com seus concorrentes e quais são as práticas que o buscador adota para assegurar sua posição dominante na internet. O comitê de antitruste observa principalmente as práticas comerciais e empresarias das companhias investigadas.

Essa não é a primeira investigação de olho no Google. No mês passado, a Comissão Federal de Comércio (FTC) também anunciou que conduziria averiguação das atitudes do buscador. Até agora o Google diz que não tem o que investigar nem o que explicar, mas concordou em fornecer os documentos que a FTC pedir.

Lá nos idos de 1990, a Microsoft passou por complicadas investigação dessa mesma natureza. Gastou milhões de dólares em sua defesa, além de fechar acordos e mudar produtos para cumprir exigências das autoridades americanas. Parece-me que o Google vai pelo mesmo (e tortuoso) caminho.

Via: WSJ

Mais do TechTudo