Publicidade

Por Rodrigo Tadeu; Para O TechTudo


Uma das principais armas da franquia FIFA, da Electronic Arts, é a sua tão falada diferença na jogabilidade, em comparação ao seu rival Pro Evolution Soccer. Este assunto sem dúvida gera muita discussão, principalmente entre os fãs das duas franquias. 

Pro Evolution Soccer 2011 (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Mas para a Konami este não é um grande problema, já que ela acredita não haver uma “diferença enorme” entre o seu Pro Evolution Soccer, e o concorrente da EA, FIFA. No entanto, a produtora afirma haver planos para uma reconstrução da série, porém, isso levará tempo e será um “longo processo”. 

Pete Stone, gerente geral da Konami no Reino Unido, disse em entrevista ao site MCV: “Não acho que haja uma enorme discrepância em termos de jogabilidade (entre PES e FIFA). Existem certas áreas que precisamos melhorar, mas não é uma diferença enorme como muitos afirmam – e estamos nos aproximando gradualmente.” 

“Podemos não vender mais que FIFA, mas conseguimos vender o suficiente, e isso é muito bom do nosso ponto de vista”, acrescentou ele. “Não pensem nisto como uma batalha que estamos tentando ganhar, ou vender mais que eles, porque não é necessariamente esse o caso.” 

“Nós fizemos grandes progressos e isso já está começando a se notar, mas também iremos passar alguns anos reconstruindo PES e as suas vendas. É um longo processo.” 

Stone afirmou ainda que a mais recente versão de PES ajudou a estabilizar as vendas da série após um período de declínio comercial, e que tem esperanças que o próximo título faça o mesmo. Vale lembrar que em se tratando de vendas no Brasil, Pro Evolution Soccer é o game de futebol mais vendido no país. 

Por enquanto ainda não se sabe nada sobre o próximo Pro Evolution Soccer, mas é muito provável que a Konami revele os primeiros detalhes do jogo durante a E3, que acontece entre 7 e 9 de junho em Los Angeles, Estados Unidos. 

Pete Stone alegou ainda que alguns avanços recentes da série passaram praticamente despercebidos. Segundo ele, a Konami acredita que a mídia, principalmente a especializada, ainda tem que perceber e se acostumar com as melhorias reais do jogo. Para ela, a série ainda está sofrendo de uma espécie de ressaca crítica provocada por algumas versões reconhecidamente de má qualidade lançadas no início do ciclo de vida dos consoles atuais. 

Rodrigo Tadeu trabalha na assessoria de imprensa da NC Games, empresa que distribui este jogo no Brasil. 

Mais do TechTudo